Anna Netrebko

A grande estrela mundial da ópera fala sobre sua estreia brasileira, junto com o tenor Yusif Eyvazov.

Anna Netrebko, soprano

Por Ana Ponzio

Superstar do canto lírico, Anna Netrebko se apresenta pela primeira vez no Brasil na programação de 2018 do Mozarteum junto com o tenor Yusif Eyvazov, do Azerbaijão, que também faz sua estreia brasileira.

Este acontecimento musical será no dia 6 de agosto, na Sala São Paulo. A Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro, sob regência do maestro italiano Jader Bignamini, acompanhará Anna Netrebko e Yusif Eyvazov, em um programa que destaca árias de óperas italianas, especialmente de Verdi e Puccini.

Nascida em 1971 na cidade russa de Krasnodar, Anna Netrebko estreou no Teatro Mariinsky de São Petersburgo aos 22 anos de idade, incentivada pelo maestro Valery Gergiev. Seu estrondoso sucesso começou efetivamente em 2002, quando interpretou Donna Anna na ópera Don Giovanni de Mozart, no Festival de Salzburgo, na Alemanha. No mesmo ano, apresentou-se pela primeira vez no Metropolitan Opera de Nova York. Daí em diante tornou-se uma estrela mundial, aclamada nos principais teatros do mundo. Mais do que uma diva da ópera, Netrebko tornou-se um ídolo mundial. Especialmente na Europa, é festejada inclusive por plateias que não costumam ver espetáculos operísticos.

Disputada em palcos como La Scala de Milão, Ópera de Paris, Covent Garden de Londres, Teatro Mariinsky de São Petersburgo e Metropolitan Opera de Nova York (onde tornou-se a única soprano a abrir três temporadas seguidas de ópera, de 2011 a 2013), Netrebko costuma provocar comoção nas plateias. Com excepcional controle vocal, profunda musicalidade, carisma e domínio cênico, ela seduz multidões inclusive quando se apresenta em grandes eventos – como o concerto realizado na Praça Vermelha de Moscou na véspera da abertura da Copa do Mundo de 2018 ou na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, na Rússia, onde é considerada um tesouro nacional.

Yusif Eyvasov, com quem se casou em 2015, tem sido seu par constante em concertos internacionais. “Nossas vozes se complementam muito bem”, ela diz nesta entrevista, sobre o tenor dramático cuja reputação artística está cada vez mais em alta. Juntos, eles gravaram recentemente o álbum Romanza, com músicas do compositor russo Igor Krutoy. Para o casal, outro centro de atenções, além da música, é Tiago, filho de Netrebko com o baixo-barítono uruguaio Erwin Schrott.

Segundo Netrebko, o nascimento de Tiago, autista, hoje com nove anos de idade, provocou mudanças em sua voz, tornando-a mais potente e dramática.

Leia mais na entrevista a seguir.

 

O que significa para você o repertório que será apresentado em São Paulo, junto com Yusif Eyvazov?

Anna Netrebko – Eu e Yusif apresentaremos um belo programa de ópera italiana, que amamos cantar juntos. Inclui algumas de nossas árias favoritas, assim como duetos que gostamos muito. São obras cujos papeis foram interpretados por nós e que foram apresentadas recentemente.

Suas apresentações com Yusif Eyvazov em São Paulo serão com a Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro. Quais suas expectativas com esta experiência e por que vocês trazem Jader Bignamini como maestro convidado?

Anna Netrebko – Estamos muito animados em cantar com esta orquestra. Ouvimos coisas maravilhosas sobre ela. Quanto ao maestro Jader Bignamini, nos sentimos muito confortáveis com ele no pódio, já trabalhamos juntos várias vezes. Ele tem uma grande energia e achamos que a Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro vai amá-lo!

Como é a experiência de cantar junto com Yusif Eyvazov? Vocês procuram estar juntos no palco sempre que possível?

Anna Netrebko – Yusif e eu adoramos cantar juntos. Nossas vozes se complementam muito bem. Estarmos juntos no palco significa que nossa família está no mesmo lugar e isto é importante para nós.

Qual a diferença entre cantar em produções de ópera e em concertos como o que será apresentado em São Paulo?

Anna Netrebko – Amo tanto concertos quanto óperas e é importante ter um equilíbrio entre os dois. Nos concertos eu gosto de usar diferentes vestidos e me arriscar em diferentes escolhas musicais. Nos espetáculos de ópera a produção artística – figurinos, cenários, orquestra, conjunto da obra – tem que estar alinhada com as visões do diretor e do maestro. Os dois tipos de apresentações são especiais.

Como você define seu extenso repertório?

Anna Netrebko – Canto há mais de 20 anos e durante este tempo meu repertório e minha técnica foram mudando. Claro, o novo, os grandes papéis são muito estimulantes, mas eu tento não definir meu repertório. Apenas canto a música que sinto ser adequada para minha voz.

O que mais lhe atrai em um compositor e quais são os seus favoritos?

Anna Netrebko – São muitos os compositores que gosto… Puccini, Verdi, Wagner, Rachmaninoff, Strauss… a lista é longa. Compositores sempre me atraem pela beleza das melodias e pelas ricas orquestrações.

Você cantaria música popular?

Anna Netrebko – Ano passado, eu e Yusif lançamos Romanza, álbum com canções de Igor Krutoy. Foi nossa primeira investida no cruzamento de linguagens artísticas, mas isto não nos transforma em cantores populares. Simplesmente achamos que as músicas eram muito bonitas e resolvemos experimentá-las.

Como você cuida de sua voz? Segue um ritual específico nos dias de apresentações?

Anna Netrebko – No dia da apresentação eu procuro comer bem – evitando cebola e alho para poupar o parceiro em cena. Relaxar, ser saudável e aproveitar a vida são fatores que realmente contribuem para uma boa performance. Depois do espetáculo eu geralmente saio para jantar com família e amigos. Na manhã seguinte eu tento dormir até tarde e depois disso as coisas voltam ao normal.

Sabe-se que sua voz teve alguma mudança depois do nascimento de seu filho. Isto realmente aconteceu?

Anna Netrebko – Houve mudança, definitivamente. Com o nascimento de meu filho eu me senti fortalecida fisicamente e minha técnica também se tornou mais potente. Foi o que me permitiu explorar repertórios mais dramáticos.

Como você se prepara para interpretar um personagem?

Anna Netrebko – Leio muito sobre cada personagem. Procuro saber como ele supostamente se comportaria, como se moveria. É preciso conhecer seu background e então deixar a música contar o resto da história. Quando se respeita um enredo ou partitura, o resto acontece por si. Depois de estudar perfeitamente o personagem, posso acrescentar algo de mim mesma.

Diante de seu enorme talento, a tendência é pensar que você precisa mais de inspiração do que trabalho para estar bem em cena. Isto é real?

Anna Netrebko – Puro engano! Performances sempre exigem trabalho árduo. Sim, a história e o personagem têm que me dizer algo, mas estar em cena exige muito mais trabalho do que o público pode imaginar… Treino, ensaios da música e da atuação no palco, memorização, além de muita energia física e mental até tarde da noite. Não é suficiente se sair tão bem quanto na última apresentação. Em cada performance você tem que ser absolutamente melhor do que nunca.

Qual o significado da apresentação ao vivo para você?

Anna Netrebko – Todas as minhas apresentações são ao vivo, em frente ao público, mesmo quando faço uma gravação. É emocionante, mas é preciso estar pronta para tudo – algumas vezes seu parceiro fica doente, às vezes canta-se com alguém que nunca encontramos antes ou ainda com alguém que tem uma falha de memória e você tem que lhe dar uma dica. É preciso estar presente e pronta o tempo todo, para fazer o espetáculo continuar.

Quando sua vocação artística se manifestou?

Anna Netrebko – Quando criança eu adorava teatro e estar no palco, seja atuando, dançando ou cantando. Tudo me inspirava e eu sabia que queria viver no palco. A ópera apareceu um pouco mais tarde e meu tempo de escola me confirmou que este era meu caminho.

Você acredita que música é um instrumento de educação e que deve estar presente desde cedo na vida das pessoas?

Anna Netrebko – Sem dúvida! Eu compartilho todo tipo de música com meu filho Tiago e ele adora. Acho importante as crianças aprenderem música e teatro desde cedo. Não somente para entretê-los, mas porque os ajuda na expressão pessoal.

Quais são seus próximos projetos?

Anna Netrebko – Além de muitos concertos, vou revisitar alguns papéis mais recentes – Aida e Adriana Lecouvreur, no Metropolitan Opera de Nova York – assim como minha estreia como Leonora em La Forza del Destino, no Royal Opera House de Londres.

Como você concilia vida artística e familiar?

Anna Netrebko – Em meio a tantas viagens procuramos programar tempo para estarmos juntos – como qualquer outra família. Sempre fazemos isto funcionar e não importa onde estejamos, procuramos nos sentir como se estivéssemos em casa.

Você transmite alegria de viver. O que realmente lhe faz feliz?

Anna Netrebko – Estar com amigos e família, apreciar a beleza das cidades onde estou, comer boa comida e fazer compras faz a vida feliz! Tempo para estar com pessoas que amo é a coisa mais importante.

Você tem dupla cidadania: russa e austríaca. Onde você vive atualmente e por quê?

Anna Netrebko – Vivemos em Viena e Nova York porque nosso trabalho é mais centralizado nestas cidades. Ainda tenho familiares na Rússia e sempre que possível vou visitá-los e me apresentar lá.

Você já se apresentou em grandes eventos para milhares de pessoas – como o espetáculo realizado na Praça Vermelha de Moscou na véspera da abertura da Copa do Mundo de 2018 e na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, na Rússia. Qual a sensação que estes eventos proporcionam?

Anna Netrebko – É uma honra me apresentar nestes eventos globais. A sensação é muito diferente das apresentações em uma casa de ópera. O público se manifesta muito intensamente, os estádios são enormes e a produção sonora e visual é incrível. Experimenta-se muita energia e excitação.

Qual a importância da música em sua vida?

Anna Netrebko – Adoro cantar no palco e me apresentar para o público, mas música é também minha ocupação. Apesar de amar o que faço e me sentir afortunada por isso, é importante que não seja a única coisa de minha vida.

Voltar para Cultura Musical