Série #NossosTalentos – Canto em Trancoso 2019
Mikael Coutinho – tenor

Abrir portas, oferecer oportunidades, estimular novos talentos: para o Mozarteum, sempre foi fundamental valorizar jovens músicos brasileiros – instrumentistas e cantores líricos.
A série #NossosTalentos procura dar visibilidade àqueles que se destacam ou fazem parte da história das atividades socioeducativas do Mozarteum – como Mikael Coutinho, que participou da academia Canto em Trancoso de 2019 e foi um dos quatro selecionados para uma bolsa de estudos adicional, que lhe proporcionará um curso da Chorakademie Lübeck na Europa, em 2020.

Para Mikael Coutinho, o canto sempre fez parte de sua natureza. Por isso ele não consegue determinar o momento exato em que começou a se interessar pela arte que fluiu naturalmente em sua vida, tornando-se sua profissão.

Paulista de São José dos Campos, este tenor de 24 anos mudou-se aos 20 para São Paulo, disposto a fazer da música a sua meta principal. Desde então, tem se destacado em produções de teatros referenciais da capital paulista – como o Municipal e o São Pedro.

Para Mikael, a bolsa de estudos de Canto em Trancoso que o levará à Europa em 2020 pode ser um impulso importante para a expansão de sua carreira. Quem conhece seu talento torce muito por isso.

A seguir, Mikael conta um pouco de sua história.

 

A revelação como solista

Eu tinha dez anos de idade quando tive meu primeiro contato com a música vocal. Minha irmã me levava aos ensaios do coral da igreja, eu ouvia as divisões das vozes e tentava entender como se encaixavam.

No ano de 2011, aos 16 anos, entrei para o Coro Jovem Sinfônico de São José dos Campos, cidade onde nasci e cresci. Lá comecei meus estudos de canto lírico. Em 2015, com 20 anos, me mudei para São Paulo, a fim de estudar e trabalhar com música. No mesmo ano entrei no Coro Acadêmico da OSESP [Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo].

Em 2016 ingressei na Escola Municipal de Música de São Paulo para estudar canto lírico. No ano seguinte, tive a experiência de cantar Paixão Segundo São João, de Bach, com o Coro Paulistano Mário de Andrade. Apesar de ser mais experiente como coralista, no decorrer desse tempo fiz solos em algumas dessas instituições.

No Coro Jovem Sinfônico de São José dos Campos fui solista em Christus, de Félix Mendelssohn. No Coro Acadêmico da OSESP solei o Stabat Mater de Joseph Haydn.

A partir daí, comecei a me interessar mais pela carreira de solista e em 2018 entrei para o Ópera Studio do Theatro Municipal de São Paulo, onde realizei solos na estreia nacional da Missa de Leonard Bernstein.

Em 2019 entrei para a academia de ópera do Theatro São Pedro, onde continuo meu trabalho, voltado para a carreira de solista.

 

Viver da música e para a música

Não teve um momento exato em que eu me descobri como cantor. Sentia que o canto fazia parte de mim, era natural em mim. Desde criança fui estimulado musicalmente e acredito que tornar-me cantor foi apenas uma consequência desses estímulos. Iniciei meus estudos como cantor no Coro Jovem da minha cidade para buscar conhecimento musical e, desde então, desejei viver da música e para a música. Entrei com vontade de aprender mais e acabei sentindo um grande afeto pelo canto – e a música virou minha profissão.

 

A emancipação através da arte

Enquanto eu canto sinto que a música me livra de minhas próprias barreiras. Perco os meus receios e meu objetivo é sensibilizar as pessoas com a minha voz.

Minha expectativa como cantor é viver da música e servir a minha arte para cada ouvinte. Tenho planos de ir para o exterior estudar música, investir na minha carreira como solista, para conquistar o meu espaço no meio musical.

 

Canto em Trancoso

Em 2019 participei pela primeira vez de Canto em Trancoso. Fiquei impressionado com a estrutura da academia, com os professores que me deram aulas e também com a oportunidade de estar no palco sob regência do maestro Rolf Beck. Foi realmente uma grande experiência e uma semana de muito aprendizado. Na hora que me anunciaram como um dos ganhadores da bolsa adicional do Canto em Trancoso de 2019, eu quase não acreditei. Só comecei a entender que era realidade com o passar dos dias. Será a minha primeira vez na Europa – e cantando. Esta bolsa representa um retorno dos investimentos que tenho feito em minha carreira.

 

Leia mais sobre Canto em Trancoso 2019 em: https://bit.ly/2JPy3rI

Na galeria de fotos, imagens de Mikael Coutinho na academia Canto em Trancoso de 2019. Na segunda foto: Mikael se apresenta no concerto de encerramento ao lado de Sarah Salotto, que também participou de Canto em Trancoso 2019. Na terceira foto: Mikael com Vitor Mascarenhas (à esquerda) que, como ele, participou de Canto em Trancoso 2019 e ganhou bolsa adicional para novo período de estudos na Europa e Vinícius Costa (à direita), também bolsista do Mozarteum, participante de edições anteriores de Canto em Trancoso.

(Fotos de Cauê Diniz. Clique sobre a foto para ampliar)

Voltar para Cultura Musical