Orquestra Sinfônica Estatal Russa “Evgeny Svetlanov” realiza apresentações brilhantes e revela para o público brasileiro um novo fenômeno musical, o pianista Philip Kopachevsky

Pianista russo Philipp Kopachevsky | Foto: Marcos Hermes

Apresentar em primeira mão, para o público brasileiro, o que há de mais destacado no panorama internacional da música, sempre foi constante na programação do Mozarteum.

Nas apresentações da Orquestra Sinfônica Estatal Russa “Evgeny Svetlanov”, que em 2018 realizou sua segunda apresentação em São Paulo sob regência do maestro Terje Mikkelsen, a grande novidade foi o pianista russo Philipp Kopachevsky.

Ouvir este fenômeno do piano, somado ao esplendor sonoro que a Sinfônica Russa proporciona, é privilégio para todas as plateias.

Depois de interpretar magistralmente o Concerto nº 2 para Piano em Dó Menor de Rachmaninov no concerto de segunda-feira, 16 de abril, na Sala São Paulo, Philipp Kopachevsky novamente impressionou na apresentação de terça, 17 de abril, tocando o Concerto nº 1 para Piano em Si Bemol Menor de Tchaikovsky.

Com domínio técnico que lhe permite extrair miríades de nuances da música, Kopachevsky vem conquistando plateias ao redor do mundo. No Japão, por exemplo, já é um artista popular – o que assinala uma trajetória meteórica, considerando que ele começou a chamar atenção cinco anos atrás, quando tinha 23 anos de idade. Vencedor dos mais importantes concursos internacionais, tem se apresentado com orquestras renomadas e regentes igualmente ilustres.

Conhecer a potência artística de Philip Kopachevsky agora significa ganhar mais uma importante referência musical a ser levada em conta no mundo da música.

Philip Kopachevesky e a Orquestra Sinfônica Estatal Russa “Evgeny Svetlanov” inauguraram a programação do Mozarteum de 2018, em São Paulo, com grande sucesso. As melhores expectativas se mantêm para o calendário de apresentações deste ano, que em agosto contará com a estreia brasileira da grande estrela da música lírica Anna Netrebko – junto com o tenor Yusif Eyvazov e a Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro, sob regência do maestro italiano Jader Bignamini.

Completando a programação do ano, os espetáculos intitulados Noite das Estrelas reunirão, em outubro, no palco da Sala São Paulo, os solistas cujas carreiras foram impulsionadas pelo Mozarteum, em um grande encontro de talentos brasileiros.

Voltar para Cultura Musical