Terje Mikkelsen

Regente

A regência de Terje Mikkelsen é descrita pela crítica como “extremamente convincente e de uma força impressionante”. Seu domínio sobre som, equilíbrio e texturas é visto como “magistral”.

Mikkelsen estudou na Academia de Música Estatal da Noruega e na Academia Sibelius de Helsinque, onde se graduou em regência orquestral, como pupilo do famoso Jorma Panula. A partir de 1985 estudou e trabalhou em estreita parceria com Mariss Jansons, tanto em Oslo como em São Petersburgo, tendo em seguida embarcado em uma jornada musical regendo orquestras por todo o Leste Europeu, Europa Central, Japão, China e Tailândia.

Dentre as várias posições que Terje Mikkelsen ocupou no mundo da música, estão a de regente titular e diretor musical da Orquestra Sinfônica Estatal da Ucrânia, principal regente convidado da Orquestra Sinfônica Estatal da Lituânia e, consecutivamente, diretor musical e regente titular da Orquestra Sinfônica Estatal da Letônia, diretor musical da Thüringen Philharmonie e professor visitante da Faculdade de Música da Universidade Mahidol em Bangkok.  

Ao longo de sua parceria com a Orquestra Sinfônica Nacional da Letônia (LNSO), Terje Mikkelsen regeu mais de 70 concertos internacionais com esta orquestra na Estônia, Lituânia, Suécia, Noruega, Alemanha, Holanda, Espanha, Tailândia e no Japão. Só com a LNSO, gravou mais de 25 CDs e, em 2009, lançou com ela dois CDs de música norueguesa que receberam críticas entusiasmadas no mundo todo. O maestro se apresenta regularmente com a Filarmônica de São Petersburgo e com a Orquestra Sinfônica Tchaikovsky da Rádio de Moscou, com a Orquestra Sinfônica Novaya Rossiya, além de ter sido regente convidado de outras orquestras renomadas. Mikkelsen subiu aos palcos da maioria das grandes salas da Europa, incluindo a Philharmonie de Berlim, Concertgebouw Amsterdam, o Salão Nobre do Conservatório de Moscou, o Salão da Filarmônica de São Petersburgo, Gasteig de Munique, Alte Oper de Frankfurt, Filarmônica de Colônia, Auditório Nacional de Madri e muitas outras salas. Em 2006, foi indicado regente titular da Orquestra Sinfônica de Xangai, cargo que ocupou até 2009.

A partir de 1993, Terje Mikkelsen passou a trabalhar com a Orquestra Sinfônica Tchaikovsky de Moscou, da qual se tornou principal regente convidado em 2008. No mesmo ano a orquestra se apresentou com grande sucesso, sob sua regência, no Concurso de Piano Rachmaninoff e no Festival de Los Angeles.

O ano de 2010 foi repleto de turnês para Mikkelsen, iniciando pela Espanha, com a Academia de St. Martin in the Fields, depois Noruega com a Orquestra Sinfônica Tchaikovsky e, com a mesma orquestra, uma turnê pelo Reino Unido, somando 15 apresentações para um público entusiasmado, que lotou as salas de concerto.

Sua produção em CD é vasta, chegando perto de 50 registros com orquestras variadas, como a Orquestra Nacional da Letônia, a Orquestra da Rádio de Munique, a Filarmônica Thüringen, a Orquestra Nacional Ucraniana, a Orquestra Nacional Lituana, a Orquestra Sinfônica de Trondheim e a Orquestra da Rádio Norueguesa.

Em 2011, Mikkelsen esteve novamente em turnê pelo Reino Unido, desta vez com a Orquestra Sinfônica Nacional Tcheca. No mesmo ano gravou 2 CDs com a Orquestra da Rádio de Munique. Pouco antes de levar a Orquestra de Munique em turnê para a Espanha, em novembro de 2011, foi lançado um CD de música orquestral de Finn Mortensen, que recebeu críticas espetaculares. Em 2012 Mikkelsen lançou o CD Fates Project com Keith Emerson, Marc Bonilla e a Orquestra da Rádio de Munique. Um CD novo com a Academia St. Martin in the Fields foi gravado para lançamento em 2014.

Os destaques da temporada 2014/2015 incluíram a estreia de uma montagem de ópera sino-norueguesa, baseada em peça de Ibsen, na Tianjin Grand Opera House, bem como concertos com a Orquestra Sinfônica da Rádio de Munique, a Orquestra Sinfônica Estatal da Rússia, a Orquestra Sinfônica Wroclaw e a Orquestra Sinfônica Ho Chi Minh.