Rolf Beck

Regente

A estreia mundial da Paixão Segundo São Lucas, de Penderecki, na catedral alemã de Münster em 1966, influenciou de maneira decisiva o então jovem estudante de Direito Rolf Beck. Sob impacto daquela extraordinária apresentação, o futuro advogado resolveu seguir sua paixão por música clássica: após formar-se em direito, decidiu fazer um curso de regência com Helmuth Rilling e em 1972 criou o Ensemble Vocal Marburg, que, sob sua direção, logo se tornaria um dos principais ensembles alemães, conquistando diversos prêmios nacionais e internacionais. Beck criaria ainda o Coro da Orquestra Sinfônica de Bamberg, igualmente alcançando grande reconhecimento internacional em curto espaço de tempo. As inúmeras turnês na Alemanha e no exterior, bem como diversos registros em CD sob a batuta de regentes renomados, dão testemunho do bem-sucedido trabalho de Rolf Beck.

Como diretor artístico do Festival de Música de Schleswig-Holstein (SHMF), Rolf Beck estabeleceu os fundamentos da academia coral do festival em 2002, seguindo a tradição da academia de orquestra fundada por Leonard Bernstein. A partir daí, o trabalho com jovens músicos talentosos passou a ter importância central para as atividades artísticas de Rolf Beck. Como seu diretor artístico ao longo de doze temporadas bem sucedidas, ele reuniu um número considerável de jovens cantores talentosos do mundo todo em Schleswig-Holstein e influenciou o progresso da academia do festival. Sob direção de Rolf Beck, o coro do festival da cidade de Lübeck partiu em turnês pelos mais importantes palcos da Alemanha e do exterior.

No início da temporada 2013-2014, Rolf Beck ampliou seu projeto para promover jovens talentos do canto, colocando-o em formato independente e dando-lhe novo nome. Para ele, era importante não abandonar o ambiente conhecido do norte da Alemanha, em especial Lübeck e Travemünde, mantendo os contatos lá estabelecidos com parceiros locais e patrocinadores. Seu objetivo era fortalecer a reputação internacional do ensemble e torná-lo famoso no mundo todo. A partir de um trabalho artístico singular, a Chorakademie Lübeck (Academia Coral de Lübeck) firmou-se como grupo vocal de jovens talentos. Ao apresentar programas de concerto incomuns e inovadores – que também incluem as principais obras para coro do repertório clássico – o ensemble moldou e enriqueceu o cenário cultural e o panorama da música clássica segundo os mais elevados padrões artísticos não só em Lübeck, mas influenciando o mundo todo.

Do vasto repertório de gravações com Rolf Beck, vale destacar, de Händel, Judas Macabeu (selo harmonia mundi) e Festa de Alexandre (selo Hänssler Classic), a Pequena Missa Solene de Rossini (selo Berlin Classics), o Oratório de Natal de Bach, bem como Carmina Burana de Carl Orff (selo Sony).

Um novo CD de música coral de Brahms, Schumann e Dvořák, com a Chorakademie Lübeck e Rolf Beck, foi lançado em 2016 (EUROIMMUN Records).