Raoul Grüneis

Regente

Na temporada de 2018, Raoul Grüneis realizou a regência da dupla produção de Pássaro de Fogo e A Sagração da Primavera, de Stravinsky, no Festival Aspendos, na Turquia. Também gravou concertos franceses para violino do final do período romântico, com o famoso violinista alemão Ingolf Turban e a Deutsche Radiophilharmonie, para o selo CPO, além de concertos na Coreia, Polônia e Venezuela, entre outros.

Natural de Würzburg (Alemanha), Raoul Grüneis é o Principal Diretor Musical da Ópera Estatal de Istambul (Turquia) desde 2010. De 2004 a 2009 ocupou a mesma posição junto à Orquestra Filarmônica e a Ópera de Regensburg, na Alemanha. Antes disso, esteve ligado aos teatros de Freiburg, Mannheim e Darmstadt, todos na Alemanha.

Raoul Grüneis estudou piano, composição e regência na Universidade de Artes de Berlim, onde masterclasses de Lied com A. Reimann e D. Fischer-Dieskau foram experiências marcantes. Da mesma forma, foi determinante atuar como acompanhador nos cursos de Wagner ministrados por Waltraut Meier, Ann Reynolds e Jean Cox. No período em que foi assistente de Jun Märkl em Mannheim, o músico atuou por três anos como assistente de Donald Runnicles e Giuseppe Sinopoli no Festival de Bayreuth.

Mesmo sem nunca ter sido aluno efetivo de Sergiu Celibidache, participar de ensaios e cursos do legendário maestro teve papel fundamental na formação de sua compreensão musical.

Raoul Grüneis apresentou-se como convidado nas óperas de Dublin, Graz, Hannover, na Ópera Nacional de Praga (Narodny Divadlo), no Teatro Nacional de Weimar e na Ópera de Stuttgart, onde estreou com Pelléas et Mélisande e Carmen. Como regente convidado de concertos, esteve à frente de orquestras como a DSO – Deutsches Symphonieorchester Berlim, Orquestra de Câmara Alemã Berlim, da famosa Orquestra de Câmara de Lausanne, Rádio Filarmônica Hannover, Staatskapelle Weimar, Orquestras das Rádios de Praga e Bucareste, Orquestra Haydn de Bolzano, filarmônicas de Gdansk, Jena e Brno e, recentemente, das filarmônicas de Seul e Gwangzhou, além de muitas outras.

Foi convidado a reger inúmeras vezes na Venezuela, onde esteve à frente de todas as grandes orquestras. Sua estreia no país foi em um recital de Wagner com a soprano norte-americana Deborah Voigt. Em seguida, alcançou enorme sucesso regendo a Orquestra Simon Bolivar, em uma versão para concerto da ópera Siegfried, de Wagner. Em 2007 regeu o concerto de aniversário da Orquestra Sinfônica da Venezuela, a mais tradicional do país, que em seguida o convidou para realizar uma série de trabalhos sobre a obra de Richard Strauss e, no ano seguinte, para um ciclo de Bruckner.

A estreia nacional de A Valquíria, de Wagner, em concerto com a Orquestra Presidencial em Ankara, na Turquia, foi um acontecimento marcante. Por causa do sucesso deste trabalho, Raoul Grüneis tem sido convidado regularmente para diversos concertos, em especial sobre o repertório austro-germânico, com solistas como a violinista alemã Isabelle Faust ou a pianista turca Idil Biret. Além disso, os teatros de ópera de Ankara e Istambul o convidam frequentemente para reger diferentes produções e concertos.

O fato de ter estudado composição com Witold Szalonek, ex-aluno de Nadia Boulanger, influenciou o repertório de Raoul Grüneis, rico em criações ou estreias nacionais de música contemporânea, sobretudo composições francesas. A transcrição de obras para piano ou música de câmara de diversos compositores para o universo orquestral, também estimulou a ampliação do repertório tradicional do músico.