Maciej Pikulski

Piano

Solista, músico de câmara e acompanhador de cantores proeminentes, Maciej Pikulski já se apresentou em mais de 300 salas de concerto, nos cinco continentes.

Diplomou-se em piano, música de câmara e acompanhamento vocal no Conservatório Nacional Superior de Música de Paris, onde fez pós-graduação e foi premiado pela Fundação Telecom da França.

Aluno de Dominique Merlet e Clive Britton (o qual estudou com o lendário Claudio Arrau), Maciej Pikulski atuou como solista na interpretação de Totentanz de Liszt e Rhapsody in Blue de Gershwin, no festival Música em Trancoso de 2017. Apresentou o Concerto em Fá Maior de Gershwin no Teatro Colón de Buenos Aires e na Sala São Paulo; o Concerto no 2 de Rachmaninoff em Logroño, na Espanha; o Concerto para Piano no. 5 “Imperador” de Beethoven em Biarritz, na França; o Concerto no 2 de Chopin em Olsztyn, Polônia; além de ter dado recitais de piano no Uruguai, na Rússia, Índia, no Sri Lanka, na Itália, Alemanha, Espanha, Suíça, Polônia e Bélgica.

Paralelamente ao trabalho como solista, Maciej Pikulski desenvolveu intensa carreira como acompanhador de alguns dos mais aclamados cantores do mundo.

Ao lado do baixo-barítono José van Dam, realizou recitais no Carnegie Hall de Nova York, La Scala de Milão, Théâtre Royal de la Monnaie de Bruxelas, Concertgebouw de Amsterdam, Teatro Cólon de Buenos Aires, Théâtre des Champs Elysées de Paris; com Renée Fleming, apresentou-se em recitais na Salle Pleyel de Paris, Musikverein de Viena, no Grande Teatro de Genebra, Barbican de Londres, Festspielhaus de Baden-Baden, Dublin Concert Hall e Rudolfinum de Praga. O pianista acompanhou ainda Thomas Hampson, Natalie Dessay, Diana Damrau, Dame Felicity Lott, Maria Bayo, Sumi Jo, Anna-Caterina Antonacci, Luca Pisaroni, Laurent Naouri, Nicolas Testé, Joseph Calleja e Patricia Petibon, entre outros.

Maciej Pikulski gravou 15 CDs e DVDs e deu masterclasses na China, Índia, no Brasil, na Bélgica, Holanda e França. O pianista ocupa cátedra de professor no Centro Superior de Música de San Sebastian, Espanha.

A crítica especializada aclamou Maciej Pikulski por sua “sensibilidade poética” (Globe e Mail, de Toronto) e “técnica poderosa” (New York Times), enaltecendo-o como “músico magnífico” (Le Figaro) e “grande pianista” (Corriere de la Serra).