Leonardo Teruggi

Contrabaixo

A curiosidade e a precisão do contrabaixista, compositor e arranjador Leonardo Teruggi o levaram a dividir o palco com grandes artistas de diferentes estilos, em projetos ecléticos.

Em 2013 criou, junto com o bandoneonista e compositor Juanjo Mosalini, o Quarteto Mosalini Teruggi (mais Sébastien Surel, violino, e Romain Descharmes, piano) – um quarteto que hoje apresenta suas próprias composições e interpretações do moderno tango de câmara virtuosístico.

Foi a partir da mesma perspectiva que fundou o Trio Hayakawa Teruggi no Japão, a fim de continuar explorando novas composições e arranjos modernos para tango.

Compôs a música original para trio de cordas (com Cyril Garac e Lionel Allemand) e voz (Sandra Rumolino) para o novo projeto do grupo, Tango entre cordes.

Especialista em tango contemporâneo, se apresenta ao lado das maiores personalidades da área na Europa: desde 2010 toca com o mestre bandoneonista Juan-José Mosalini, acompanhando-o mundo afora. De 2013 para cá, trabalha em parceria com o pianista e compositor argentino Gustavo Beytelmann em seus diferentes projetos e também se apresenta regularmente com o guitarrista virtuoso e compositor argentino Tomas Gubitsch.

Desde 2003 Leonardo se apresenta com a L’Orchestre de Contrebasses, o inclassificável sexteto de jazz de música dramática e de improviso com o qual viajou para a Europa, Ásia e Estados Unidos. Além de tango moderno, interpreta música barroca desde 2006 com o alaudista Eduardo Egüez e o conjunto La Chimera. A partir de 2019, passou a integrar o internacionalmente famoso ensemble L’Arpeggiata.

Leonardo Teruggi atuou como arranjador para Juan-Mosalini, Eduardo Egüez, Lucilla Galeazzi, o trio KDM, o sexteto de tango Las Malenas, Elise Caron, para o duo Martinova-Garac, para o projeto Tout Tango e para o Trio Talweg, entre outros.

O músico compõe sobretudo para o quarteto Mosalini-Teruggi e para o trio Hayakawa-Teruggi, mas também para o Trio Sébastien Surel, com Tomas Gubitsch e Vincent Segal, além de vários outros conjuntos de tango.

É chamado regularmente aos palcos por artistas como Ophélie Gaillard, Céline Scheen, Simone Rubino e Marco Ambrosini no mundo clássico e barroco; Jean-Philippe Viret, Yves Torchinsky, Kevin Seddiki, Ablaye Cissoko e Kiya Tabassian nos domínios do jazz e da world music; Minino Garay, Luis Rigou, na música argentina; os músicos do Gotan Project, Agnès Jaoui e Catherine Ringer no universo das variedades.

Leonardo se apresentou em mais de 30 países, em locais como o Carnegie Hall de Nova York, Berliner Konzerthaus, Elbphilharmonie em Hamburgo, Wiener Konzerthaus, Ópera Estatal de Viena, Concertgebouw Brugge, Sala Flajey em Bruxelas, De Doelen em Rotterdam, Musiikkitalo em Helsinki, Ópera de Bilbao, Arts Center de Seul, Arts Center Hyogo de Kobe, Metz Arsenal, Philharmonie de Paris, Salle Gaveau, Rádio France e Théâtre de la Ville em Paris, Festival de la Roque d’Anthéron, Stresa, Innsbruck, Potsdam, Gstaad e Cervantino no México.

Nascido em 1982, começou a estudar piano aos cinco anos de idade, antes de descobrir o contrabaixo aos 18, quando se tornou aluno de Christian Gentet. Cinco anos mais tarde, aprofundou os estudos de contrabaixo clássico com Jean-Paul Celea no Conservatório Nacional Superior de Música de Paris, onde se graduou em 2009.

Leonardo Teruggi leciona contrabaixo clássico e tango, além de tango de câmara no Conservatório C.R.D. de Gennevilliers (França).