Elīna Garanča

Mezzo-soprano

Elīna Garanča nasceu em uma família de músicos de Riga, na Letônia, e estudou na Academia de Música da Letônia com sua mãe. Venceu o Concurso de Canto Mirjam Helin em 1999 e foi finalista do concurso BBC Cardiff Singer of the World em 2001.

Iniciou a carreira profissional como artista residente do Südthüringisches Staatstheater em Meiningen, Alemanha, onde protagonizou muitos papéis. Mais tarde atuou como artista residente na Ópera de Frankfurt.

Elīna Garanča se consolidou como uma das estrelas de primeira grandeza da cena internacional da música, apresentando-se ao lado das maiores companhias de ópera e orquestras sinfônicas do mundo. Conquistou público e crítica com sua bela voz, musicalidade inteligente e interpretações convincentes.

Dentre os vários papeis que interpretou, é especialmente reconhecida por Carmen, de Bizet, que apresentou na Royal Opera House Covent Garden e na Metropolitan Opera, tendo sido reconhecida pelo jornal The New York Times como a melhor Carmen em 25 anos.

Em setembro de 2005 Elīna se tornou artista exclusiva do selo Deutsche Grammophon (DG). Seu primeiro registro solo, Aria Cantilena, lançado em março de 2007, foi muito bem recebido por público e crítica. Os dois últimos álbuns, Romantique e Meditation, receberam o Prêmio ECHO Klassik em 2012 e 2015 respectivamente.

Seu mais recente registro em CD, Revive, lançado no final de 2016, foi aclamado com unanimidade pela crítica: “um disco emocionante, rico em qualidade suntuosa” (jornal britânico The Telegraph).

Elīna abre a temporada 2018/19 em nova montagem de Sansão e Dalila na Metropolitan Opera de Nova York e estreia no papel de Didon, em nova montagem de Les Troyens, na Ópera Nacional de Paris. Retorna ainda à Ópera Estatal de Viena em Cavalleria Rusticana. Na seara dos concertos, Elīna canta Mahler ao lado da Orquestra da Metropolitan Opera e de Yannick Nézet-Séguin, além de cantar o Réquiem de Verdi com a Filarmônica de Berlim e Riccardo Muti e apresentar recitais no Carnegie Hall e no Wigmore Hall. Elīna deve ainda se apresentar em diversos festivais e concertos de gala por toda a Europa, América do Sul e outras localidades do mundo.

Os destaques recentes de sua carreira incluem estreias em papeis aclamados pela crítica, como Princesa Eboli em Don Carlos, em nova montagem na Ópera Nacional de Paris, e Dalila em Sansão e Dalila, também em nova montagem na Ópera Estatal de Viena. Outros destaques incluem uma nova encenação de A Favorita na Ópera Estatal da Baviera (recentemente lançada em DVD pela DG). A cantora estrelou ainda a nova montagem de O Cavaleiro da Rosa na Metropolitan Opera – com transmissão para salas de cinema do mundo todo.

Elīna Garanča foi agraciada com várias premiações: Vocalista do Ano pela revista Musical America em 2010, Cantora do Ano no Prêmio MIDEM em 2007 e no Prêmio ECHO Klassik no mesmo ano.

Realizou inúmeros concertos de gala e recitais no mundo todo, incluindo o Réquiem de Verdi no Teatro alla Scala de Milão com Daniel Barenboim, Anja Harteros, Jonas Kaufmann e René Pape (também lançado em CD/DVD pelo selo Decca), além de recitais regulares no Carnegie Hall em Nova York e no Wigmore Hall em Londres.

Em maio de 2013, Elīna Garanča foi homenageada pela Ópera Estatal de Viena com o título honorífico de Kammersängerin (Cantora de Câmara). Uma das mais jovens homenageadas pela casa, recebeu o título em reconhecimento à sua dedicação à companhia, onde interpretou 18 papeis em mais de 140 apresentações desde sua estreia, em 2003. Começou no pequeno papel de Lola e hoje interpreta os papeis reinantes: Carmen, Sesto, Giovanna Seymour, Charlotte e Octavian.