Derrick Lawrence

Canto (Barítono)

“Com sua potência vocal brilhante, sonora, ele fez uma interpretação impressionante” – Opernglas, sobre Derrick Lawrence.

Convites levaram o baixo-barítono norte-americano Derrick Lawrence a se apresentar na Filadélfia, em Santa Fé, Dallas, nas óperas de Charlotte e Piedmont, na Opera North de Leeds, nas Óperas de Zurique, Budapeste e Stuttgart, em Londres, bem como em inúmeros festivais, como o Cleveland Blossom Festival, o Aspen Music Festival, os festivais alemães de Mainau, Chiemgau e Ludwigsburg, o festival de ópera Miskolci Nemzetkozi, na Hungria, e o festival Chaliapin, na cidade russa de Kazan.

No início da carreira, Derrick Lawrence cantou principalmente papeis para baixo, mas com o passar do tempo ficou claro que seu ponto forte estava na representação do repertório dramático para barítono. No período em que fez parte do ensemble de Aachen, soube impressionar o público com papeis como Figaro, Arcesius em Die toten Augen, de Eugen d’Albert, ou Eugen Onegin, para mencionar apenas alguns. Nas últimas temporadas no Teatro de Freiburg – do qual foi membro fixo de 2002 a 2006 – foi muito bem-sucedido nas interpretações de Escamillo, Pizzaro em Fidelio, Macbeth ou o Conte em As Bodas de Fígaro, além de Alfio e Talbot em Maria Stuarda. Pode ser visto ainda como Village na estreia alemã de Les Nègres, de Michael Levinas. Na temporada 2006/2007 o cantor alcançou extraordinário sucesso interpretando Wotan em Rheingold, de Wagner. No teatro de Kaiserslautern e na ópera de Brno, foi o Imperador em O Milagre de Eliane.

O barítono recebeu formação musical na North Carolina School of the Arts, na renomada Juilliard School e no Curtis Institute of Music. Venceu diversos concursos internacionais de canto, recebeu vários prêmios, entre eles o Grace Bumbry, Mario Lanza, George London, o prêmio da Fundação Sullivan, a bolsa de estudos Richard Tucker Jacobson e, em 2006, o prêmio Zelt de Artistas Clássicos Excepcionais. Além disso, em 1991, venceu as audições do Conselho Nacional da Metropolitan Opera.

Derrick Lawrence é cantor muito requisitado também nos palcos internacionais de concerto. Cantou junto às mais prestigiosas orquestras do mundo, entre elas as orquestras sinfônicas de Munique, Nuremberg, Aachen e Saint Louis, as orquestras das rádios SWR e NDR, as filarmônicas de Nova York e Varsóvia, a Orquestra Sinfônica Americana e a Orquestra de Cleveland. Sua apresentação no Concerto de Gala Richard Tucker 1993, sob regência de Daniel Oren, foi transmitido em todo o território norte-americano através da rede PBS.

Em 2005 o selo Monsrecords lançou o CD Bernstein-Gershwin Gala, trazendo uma versão para concerto da ópera Porgy and Bess, com Derrick Lawrence no papel-título, ao lado da Orquestra SWR, sob regência de David Stahl. Porgy é um dos papeis mais interpretados e foi justamente este que ele cantou recentemente na França (Lyon), na Alemanha (Wiesbaden) e na Suíça, com a Orquestra Sinfônica de Baden-Baden. Na temporada 2014/15 alcançou enorme sucesso como Porgy, em nova montagem na Ópera Real de Copenhagen e em concertos de gala na Ópera Estatal de Budapeste.

Durante a temporada 2015/16, Derrick Lawrence foi visto no Teatro de Freiburg no papel título de Sweeny Todd, de Sondheim. Em 2016/17, interpretou mais uma vez o papel de Porgy em diversos concertos na Suíça e nos Estados Unidos.