Carlos Moreno

Regência

Regente titular da Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro, Carlos Moreno também é regente principal convidado da Orquestra Sinfônica de Goiânia.

Nascido em Petrópolis (RJ), é um dos mais requisitados maestros brasileiros de sua geração, atuando no Brasil, Europa, Estados Unidos e Ásia. Atualmente é apoiado em suas iniciativas musicais pelo Mozarteum Brasileiro.

Iniciou seus estudos musicais em canto, piano e violino, aos seis anos de idade, por influência de sua mãe que era pianista e mezzo-soprano.

Em 1998, foi o vencedor do 5º Concurso Latino-Americano para Regentes promovido pela OSUSP (Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo).

Até 2016 foi maestro da OER-Orquestra Experimental de Repertório, uma das mais importantes orquestras de formação da América Latina. No Brasil, atuou à frente das principais orquestras profissionais, entre outras a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB), Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo (OSMSP), Filarmônica de Minas Gerais, Filarmônica de Goiás, Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA), Sinfônica do Paraná, Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul (UCS).

Carlos Moreno é um dos raros maestros de sua geração que já regeu e tem domínio dos mais importantes ciclos sinfônicos, como os Choros de Camargo Guarnieri, as nove sinfonias de Beethoven, as seis sinfonias de Tchaikovsky, além das sinfonias e concertos de Brahms, as nove Bachianas de Villa-Lobos, as quatro sinfonias de Schumann, os Poemas Sinfônicos de Korsakov e recentemente as sinfonias de Anton Bruckner. Em 2012 gravou o primeiro registro sinfônico na América do Sul da Sinfonia nº 8 de Bruckner, com a Orquestra Sinfônica de Santo André, em parceria com a OSESP.

Os resultados alcançados nos primeiros passos de Carlos Moreno na área de ópera, com a execução de Madame Butterfly e Tosca, de Giacomo Puccini, Pedro Malazarte de Guarnieri e Rigolleto de Verdi, chamaram a atenção para o maestro, que firmou sua carreira com ações voltadas para uma liderança atual e humana. Hoje cumpre a importante missão de ser um maestro formador de jovens talentos.

Em janeiro de 2016 lançou seu primeiro livro – Do Arteiro ao Artista, da editora CD.G e disponível nas livrarias Cultura de São Paulo e Rio de Janeiro. Com abordagem pedagógica, este livro proporciona a professores uma importante ferramenta para o desenvolvimento neurológico da criança.

O maestro Carlos Moreno também é compositor. Já concebeu obras para instrumentos de metais e percussão, piano e canto, cordas, obras corais e uma abertura sinfônica bastante popular, a Abertura Vittòria.

Em 2016 criou junto ao Mozarteum Brasileiro, dirigido por Sabine Lovatelli, a Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro, que estreou em março de 2017, no 6º Festival Música em Trancoso. Neste mesmo ano foi convidado a assumir o cargo de maestro convidado principal da Orquestra Sinfônica de Goiânia. 

Em julho de 2017, por intermédio do Mozarteum Brasileiro, Carlos Moreno iniciou em Trancoso (BA), com o Núcleo Neojibá e o Instituto Trancoso, o 1º Workshop de Inverno – Práticas Musicais e Pedagógicas, direcionado ao desenvolvimento dos talentos musicais desta cidade.