Anna Netrebko

Soprano

“Uma soprano com a força das estrelas no melhor sentido, expressividade carismática que perpassa cada elemento de sua interpretação”.
– Anthony Tommasini, New York Times

Anna Netrebko deu novo significado ao conceito de estrela da ópera. Prima-dona de nossos tempos, a soprano é personagem central habitual de celebradas montagens nos grandes palcos de ópera do mundo e foi a primeira intérprete clássica a entrar para a Time 100, seleção das 100 personalidades mais influentes do mundo, organizada pela revista norte- americana Time. Com voz especialmente bela, imenso carisma e arrebatadora presença de palco, Netrebko deixa uma imagem indelével a cada nova interpretação. Um ícone tanto nos palcos como fora deles, a soprano russa vive um superestrelato que vai muito além do universo da música clássica.

A partir da estreia triunfante no papel de Donna Anna na ópera Don Giovanni, de Mozart, no Festival de Salzburg em 2002, Anna Netrebko passou a se apresentar em praticamente todas as grandes companhias de ópera do mundo, como a Metropolitan Ópera, Ópera de São Francisco, Ópera Lírica de Chicago, Ópera Real de Londres, La Scala de Milão, Óperas de Paris e Zurique, Óperas Estatais de Viena, de Berlim e da Baviera. Com frequência retorna à Ópera Kirov do Teatro Mariinsky, em São Petersburgo – onde fez a estreia no papel de Susanna em Le nozze di Figaro, de Mozart – para trabalhar com seu mentor de longa data, o regente Valery Gergiev. Além da Susanna de Mozart, os papeis de destaque da soprano no passado e no presente incluem: de Puccini, Mimì (La bohème) e Manon Lescaut; de Verdi, Violetta (La traviata), Lady Macbeth (Macbeth), Leonora (Il Trovatore) e Giovanna d’Arco; de Bellini, Giulietta (I Capuleti e I Montecchi), Elvira (I puritani) e Amina (La sonnambula); de Mozart, Donna Anna (Don Giovanni); de Donizetti, Norina (Don Pasquale), Adina (L’elisir d’amore), Lucia (Lucia di Lammermoor) e Anna Bolena; o papel-título em Manon de Massenet; Juliette em Roméo et Juliette de Gounod; de Tchaikovsky, Tatiana (Eugene Onegin) e Iolanta, além de Elsa na ópera Lohengrin de Wagner.

Netrebko também se apresenta com frequência em concertos no mundo  todo, seja em salas famosas como o Carnegie Hall de Nova York, ou diante de um público de dezenas de milhares de pessoas em grandes arenas. Seus concertos ao ar livre – dividindo o palco com artistas como Plácido Domingo e Dmitri Hvorostovsky, em locais que vão do anfiteatro Waldbühne de Berlim à Praça Vermelha de Moscou – são quase sempre transmitidos em rede internacional de televisão. Ela é atração permanente do Festival de Salzburg, foi estrela principal do famoso Last Night of the Proms em Londres e se apresenta no Metropolitan Opera’s Live todos os anos desde o lançamento da série em HD na temporada de 2006/07. A cantora também canta com frequência em recitais ao lado dos grandes nomes da música no mundo, como o maestro Daniel Barenboim.

A última temporada reafirmou Netrebko no posto de prima-dona inconteste da atualidade: na abertura no Teatro La Scala de Milão, foi ovacionada durante onze minutos após a interpretação do papel-título de Giovanna d’Arco, de Verdi; estreou recital-solo na Metropolitan Ópera de Nova York com ingressos esgotados; e, na Semperoper de Dresden, fez sua primeira incursão triunfante pela obra de Wagner, no papel de Elsa.

A soprano iniciou a temporada 2016-17 com seu primeiro álbum solo após três anos: Verismo traz o registro de sua voz no auge da beleza, em alguns dos mais icônicos duetos e árias da ópera italiana. A nova temporada traz ainda quatro de seus atuais papeis de destaque: Manon Lescaut de Puccini, em estreia norte-americana da personagem na Metropolitan Ópera e estreia nos palcos do Teatro Bolshoi de Moscou; Tatiana de Tchaikovsky, em reprise na Metropolitan Ópera e estreia do papel na Ópera de Paris; Lady Macbeth de Verdi, no retorno da soprano à montagem de Martin Kušej na Ópera Estatal da Baviera; além de Leonora de Verdi, em nova produção de Il Trovatore na Ópera Estatal de Viena. Netrebko retorna ainda ao La Scala de Milão como Violetta em La traviata, tirando a antiga personagem da aposentadoria para revivê-la em três apresentações de despedida da clássica montagem de Liliana Cavani. No Teatro Mariinsky, ela estrela Adriana Lecouvreur de Cilea – como apresentado no CD Verismo. Em 2017 Netrebko também canta em uma série de concertos internacionais notáveis ao lado de Yusif Eyvazov, em cidades como Colônia, Paris, Toronto e Los Angeles, antes de regressar a Nova York para estrelar dois célebres eventos de gala: a noite anual de gala da Fundação Richard Tucker e a noite de gala em celebração aos 50 anos da Metropolitan Ópera na atual sede.

Anna Netrebko ostenta extensa discografia que inclui álbuns solo, registros completos de ópera e repertório de concerto. Seus CDs solo como artista exclusiva do selo Deutsche Grammophon – Opera Arias, Sempre Libera, Russian Album, Souvenirs, In the Still of Night, Anna Netrebko: Live at the Metropolitan Opera e Anna Netrebko: Verdi – são todos best-sellers, assim como os registros completos de La traviata, Le nozze di Figaro, La bohème, I Capuleti e i Montecchi, Giovanna d’Arco, War Requiem de Britten e os Stabat Mater de Pergolesi e Rossini. Destaques em vídeo incluem DVDs ou Blu-rays de Rusland and Lyudmila, Betrothal in a Monastery, La traviata, Le nozze di Figaro, I puritani, Manon, Lucia di Lammermoor, Don Pasquale, Anna Bolena e Eugene Onegin; um lançamento em longa-metragem de La bohème, sob direção de Robert Dornhelm; e um DVD de músicas sob o título Anna Netrebko: The Woman, The Voice [Anna Netrebko: A Mulher, A Voz]. Seu CD Duets, ao lado do tenor Rolando Villazón, bateu o recorde de melhor estreia europeia de álbum clássico, atingindo o topo das paradas pop em diversos países.

Anna Netrebko interpretou o Hino Olímpico na cerimônia de abertura do Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi em 2014, evento televisionado para o mundo todo. Em 2007, ano em que entrou para a lista das 100 personalidades mais influentes do mundo segundo a revista Time, ela cantou para o diretor de cinema Martin Scorsese no 30 o Tributo Anual do Kennedy Center, em transmissão pela rede norte-americana CBS. No ano seguinte apresentou-se ao lado de Andrea Bocelli na transmissão do Prêmio Classical BRIT Awards pela rede britânica BBC. A soprano já foi matéria de inúmeras revistas, incluindo Vogue, Vanity Fair e Town & Country. Também foi entrevistada em programas de TV como o Good Morning America (ABC), The Tonight Show with Jay Leno (NBC), 60 Minutes (CBS), Revealed (CNN), além do programa alemão Wetten, dass..? (ZDF). Documentários sobre a cantora já foram televisionados na Áustria, Dinamarca, Alemanha, Rússia e Suíça.

Honrarias e prêmios concedidos à cantora incluem indicações para o Grammy pelos CDs Violetta e Russian Album; o Prêmio Opera News em 2016; o Prêmio Musical America 2008 na categoria Música do Ano; o prestigioso Prêmio Bambi alemão; o prêmio britânico Classical BRIT Awards como Cantora do Ano e Artista Feminina do Ano; além de onze prêmios ECHO Klassik na Alemanha. Em 2005 ela recebeu o Prêmio Estatal Russo, mais alta honraria concedida pelo governo russo na área de artes e literatura e, em 2008, foi agraciada com o título de Artista do Povo da
Rússia.

Nascida em Krasnodar, Rússia, em 1971, Anna Netrebko estudou canto no Conservatório de São Petersburgo. Defensora apaixonada das causas infantis, apoia várias organizações sociais, incluindo a Aldeia SOS Internacional e a Sociedade Russa para o Bem-Estar da Criança. Anna Netrebko é embaixadora mundial da joalheria Chopard. Recebeu a dupla cidadania austríaca em 2006. Seu filho, Tiago, nasceu em 2008 e em 2015 ela se casou com o tenor Yusif Eyvazov.