Angelika Kirchschlager & Cappella Istropolitana

Angelika Kirchschlager, mezzo-soprano

Quando: 5 e 6 de abril
Horário: 21h
Local: Sala São Paulo (São Paulo, SP)
Praça Júlio Prestes, 16


Angelika Kirchschlager

A mezzo-soprano austríaca Angelika Kirchschlager é uma das mais importantes cantoras líricas da atualidade. Reconhecida internacionalmente como uma das maiores intérpretes de Schubert, Mahler e Brahms, Angelika tem um repertório de compositores de diferentes períodos e origem que lhe permitem mostrar a versatilidade de sua voz e dramaturgia: Bach, Berlioz, Debussy, Dvorák, Mandelsson, Ravel, Rossini, Schumann, Strauss, Mozart.

Super requisitada internacionalmente, Angelika divide seu tempo entre recitais e óperas na Europa, América do Norte e Extremo Oriente e ainda como integrante da Ópera Estatal de Viena.

Ela tem demonstrado sua amplitude vocal em óperas como Pelleas et Milisande, de Debussy, Sophie’s Choice, de Nicholas Maw e Carmen, de Bizet.

Entre outros, já recebeu o título de Honorary Member of the Royal Academy of Music, em Londres.

Sua expressiva discografia inclui, pela Sony, os CDs Bach Arias, a coleção de canções de ninar When Night Falls, além de seu aclamado álbum de estreia, intitulado Lieder by Alma Mahler, Gustav Mahler and Erich Korngold.

Em DVD, entre outros, ela pode ser apreciada no papel título de Sophie’s Choice, ópera do compositor britânico Nicholas Maw, gravada na Royal Opera House de Londres.

Angelika Kirchschlager já conquistou três vezes o prêmio Echo Klassik e também o Grammy Award.

Ela nasceu em Salzburgo e iniciou-se na música como estudante de piano, no Mozarteum de sua cidade natal. Após graduar-se no Musisches Gymnasium Salzburg, ingressou em 1984 na Vienna Music Academy, onde estudou com Gerhard Kahry e Walter Berry.


Capella Istropolitana

Chamber Orchestra of the City of Bratislava

Capella-Istropolitana-2A orquestra de câmara Cappella Istropolitana foi criada em 1983. Os músicos têm em comum o prazer e o entusiasmo em fazer música e tocar coletivamente em um pequeno grupo. A maioria deles são renomados solistas de câmara. O nome Cappella Istropolitana é derivado da palavra latina Istropolis – cidade no Danúbio.

A sonoridade da Capella Istropolitana associa alto nível técnico, som cultivado, expressão direta, disciplina interpretativa e um nível extraordinário de adesão ao estilo.

Com base em sua alta qualidade, a Cappella Istropolitana, sob a liderança de Robert Mareček, foi nomeada Orquestra de Câmara da Cidade de Bratislava em 1991, pela Câmara Municipal da cidade eslovaca.

O núcleo do conjunto consiste em 15 cordas. Além disso, há músicos regulares, de corda e sopro, que tocam para conjuntos especiais, de acordo com as necessidades de repertório.

O vasto repertório da Capella Istropolitana se compõe de obras barrocas alemãs e italianas e composições românticas e clássicas do século 20 para instrumentos de corda, que são normalmente realizadas sem regente. Em casos especiais, a orquestra se apresenta em tamanho grande. Nesta dimensão, apresentou sinfonias completas de Beethoven e Brahms em Klagenfurt (Áustria); Carmen de Bizet em Atenas; Flauta Mágica de Mozart em Lisboa e Don Giovanni de Mozart na Alemanha.

Desde o início da sua atividade artística, o conjunto passou a fazer parte da cena internacional de música. O grupo se apresentou em quase toda a Europa, Estados Unidos, Canadá, Japão, Coreia, China, Macau, Hong Kong, Egito, Israel, Nova Zelândia, Argentina, Peru, Uruguai e Chile.

A Capella Istropolitana é regularmente convidada para realizar obras vocais de Bach, Händel, Mozart, Haydn, Beethoven, Mendelssohn, Brahms, Dvorak, Verdi (Requiem) e Britten (War Requiem), com renomados coros da Áustria, Alemanha e Suíça.

A sua elevada qualidade artística também se reflete na inclusão de quartetos e quintetos de cordas de Haydn, Beethoven, Brahms, Smetana, Tchaikovsky, Prokofiev, Borodin e Verdi, em seu repertório.

A orquestra está regularmente presente no Festival de Música Holstein Schleswig, Prague Spring Festival, Festival de Música de Bratislava, Festival de Musica Strasbourg, Carinthischer Sommer Villach, assim como festivais de música em Rheingau, Wiesbaden, Kloster Maulbronn, Tegernsee, Ludwigshafen, Köln, Nice, Nancy, Murten e Berna.

Um grande sucesso do grupo foi a performance de 38 sinfonias de Haydn durante 11 concertos na cidade austríaca de Eisenstadt, na ocasião do 200º aniversário da morte de Haydn, em 2009. A Capella Istropolitana já se apresentou com maravilhosas orquestras, tais como Concentus Musicus, sob regência de Nikolaus Harnoncourt; Camerata Salzburg, com Heinz Holliger; Wiener Akademie, com Martin Haselböck; Orquestra Barroca de Amesterdam, com Ton Koopman; Orchestra of the 18th Century, com Frans Brüggen; Orchestra of the Age of Enlightenment, com Laurence Cummings; English Chamber Orchestra, sob a direção de Sir Colin Davis .

Há 15 anos a orquestra tem organizado concertos em memória da soprano, mundialmente famosa, Lucia Popp, em Bratislava – chamado de Hommage a Lucia Pop. Todos os anos, cantores famosos de toda a Europa são convidados a se apresentar neste evento.

Além das aparições em concertos, o conjunto está envolvido também em gravações de CD e televisão. Já lançou 120 CDs e já conquistou dois discos de platina.

Em 2013 a orquestra foi convidada pelo maestro austríaco Ralf Weikert para realizar a gravação de DVDs com obras de Bach, Haydn, Mozart, Hummel e Weber, com os solistas mundialmente famosos Daniel Ottensamer, Johannes Hinterholzer e Karl-Heinz Schütz.

É notável a colaboração da orquestra com maestros importantes, como Theodor Guschlbauer, Enoch zu Guttenberg, Jan Latham-Koenig, Andrew Parrott, Libor Pesek, Ralf Weikert, Volker Schmidt Gertenbach, além de solistas de renome, tais como Alfred Brendel, Gabor Boldoczki, Philippe Entremont, Reinhold Friedrich, Jochen Kowalski, Igor Oistrach, Otto Sauter, Fazil Say, Stefan Vladar, Thomas Zehetmair, Lidia Baich, Maurice Steger, Patricia Kopatchinskaja, Vivian Hagen, Boris Garlitsky, Philippe Bernold, Laurent Korcia, Albrecht Mayer, Sergei Nakariakov, Wenzel Fuchs, Radek Baborák, Ivan Ženatý, Olivier Charles, Antoine Tamestit, Gautier Capuçon, Emmanuel Ceysson, Sharon Kam, Marie-Pierre Langlamet, Charlotte Balzereit, Stefan Schilli, Michala Petri, Dalibor Karvay, Bob van Asperen e Michael Martin Kofler.


Robert Mareček

Capella-Istropolitana-4Nascido em 1965 em Brno, República Tcheca, Robert Mareček cresceu em uma família ligada ao mundo da música. Formou-se em violino e composição no Conservatório de Brno e cursou a Faculdade de Artes Cênicas em Bratislava, onde estudou com o professor Bohdan Warchal, diretor artístico da Orquestra de Câmara Eslovaca, e com sua assistente, Anna Hölbling, sob cuja orientação se formou.

Ao longo dos estudos, além do repertório solo, diversificou suas atividades dedicando-se à música de câmara. Representou sua escola em concertos em Dresden e Kiev e participou de diversos concursos e cursos de interpretação na Suécia e na Alemanha. Foi parceiro requisitado por muitos grupos camerísticos e compôs o trio para piano Quasars.

Ainda estudante, na Faculdade de Artes Cênicas, integrou o conjunto de câmara Cappella Istropolitana, com o qual se apresentou (inclusive como solista) em concertos na Europa, Estados Unidos, Japão, China, Hong Kong e América do Sul. Após finalizar os estudos, trabalhou intensamente com a Orquestra de Câmara Eslovaca, atuando como regente na ausência do titular Bohdan Warchal.

Em 1989, Mareček tornou-se suplente do spalla na Filarmônica Eslovaca, onde permaneceu até 1995. Como spalla, tocou com diversos regentes e solistas, tais como Rafael Kubelik, Zdenek Kosler, Libor Pesek, Ondrej Lenard, Aldo Ceccato, Alexander Rabhari, entre outros. Em 1990, regeu a Filarmônica Eslovaca no célebre concerto com três orquestras tchecoslovacas na Praça Staromestské, em Praga. Nesta apresentação conjunta da Filarmônica Tcheca, Filarmônica Eslovaca e Filarmônica Estatal de Brno, foi apresentado Má vlast, de Bedřich Smetana, sob regência de Rafael Kubelik.

Desde 1991, quando o Cappella Istropolitana adquiriu status de Orquestra de Câmara da Cidade de Bratislava, Mareček tornou-se membro-chave e, a partir de 1996, passou a atuar com exclusividade como spalla e diretor artístico do ensemble. Com o Cappella Istropolitana realizou inúmeras gravações e concertos mundo afora, além de ter participado dos principais festivais europeus, como o de Schleswig-Holstein, Rheingau, Pražské Jaro, Bratislavské Hudobné Slávnosti e Mecklenburg-Vorpommern. Trabalhou com maestros renomados como Enoch zu Guttenberg, Ralf Weikert, Rolf Beck, Pawel Przytocki, Kaspar Zehnder e, como diretor artístico, atuou com solistas excepcionais, entre os quais figuram Barbara Hendricks, Jean Pierre Rampal, Alfred Brendel, Sergei Nakariakov, Igor Oistrach, Thomas Zehetmair, Fazil Say, Albrecht Mayer, Frank Peter Zimmermann, Reinhold Friedrich, Philippe Bernold, Jochem Kowalski e Stefan Vladar. Em julho e agosto de 2009, o Cappella Istropolitana, tendo Mareček como diretor artístico, apresentou mais de 40 das 104 sinfonias de Joseph Haydn durante o Festival Haydn de Eisenstadt, como parte da celebração dos 200 anos da morte do compositor.

Na temporada de 2006-2007, Mareček foi spalla convidado da Orquestra Filarmônica Eslovaca. De 2007 a 2009 atuou como spalla da Orquestra Sinfônica da Rádio Eslovaca (SOSR). Hoje, além do trabalho junto ao Cappella Istropolitana, Mareček é professor de violino na Faculdade de Artes Cênicas em Bratislava. Suas atividades como músico de câmara e solista incluem o trabalho desenvolvido com o Hummel-Trio de Bratislava (com Marcel Stefko e Eugen Prochac), que se dedica especialmente à música de Johann Nepomuk Hummel, compositor de origem eslovaca.

Robert Mareček toca um violino criado em 1902 pelo mestre luthier Jaroslav Dvorak, em Praga.


Programa*

Franz Schubert (1797-1828)
SINFONIA Nº. 3, D.200 
I. Adagio maestoso – Allegro con brio
II. Allegretto
III. Menuetto. Vivace – Trio
IV. Presto vivace

Franz Schubert (1797-1828)
CANÇÕES
– Na Primavera
– A Tília
– O Rei dos Elfos
– Ellen III, D.839, Op. 92, nº6 “Ave Maria”

Johann Strauss (1825-1899)
ABERTURA “O MORCEGO”

Robert Stolz (1880-1975)
O FAVORITO: TU DEVES SER O IMPERADOR DA MINHA ALMA

Richard Heuberger (1850-1914)
O BAILE DA ÓPERA: VEM COMIGO AO QUARTO RESERVADO

Robert Stolz (1880-1975)
AS ÁRVORES NO PRATER ESTÃO NOVAMENTE EM FLOR

Johann Strauss (1825-1899)
SANGUE VIENENSE, Op.354
– Valsa

Johann Strauss (1825-1899)
O MORCEGO: CONVIDADOS ADORO CHAMAR

Johann Strauss (1825-1899)
UMA NOITE EM VENEZA
– Canção da embriaguez

Rudolf Sieczyński (1879-1952)
VIENA, CIDADE DOS MEUS SONHOS

*Programa sujeito a alterações


Ingressos

ingresso-rapido-full

Telefone (também aos sábados)

Vendas pela Ingresso Rápido não possuem taxa de conveniência,
mas estão sujeitas a taxa de entrega.

www.ingressorapido.com.br


logo_mozarteum

Telefone: (11) 3815-6377  de segunda a sexta, das 9h às 18h:

Rua Pedroso Alvarenga, 58 – 3º andar – Itaim Bibi – São Paulo/SP

Programação 2016