Albert Santana de Andrade
Ana Carolina de Medeiros Coutinho
Ana Elisa Portes Lima
André Aguiar Angenendt
Annelise Guimarães Dias
Bárbara Sena Batista Alves
Bruno de Sá Nunes
Camila Aparecida Rabelo
Camila Mendes Montefusco
Carlos Rafael Porto
Carolina Claret Valadão
Célio Henrique Oliveira de Souza
Crislaine Hildebrant Netto
David dos Santos Medrado
Eder Augusto Rrado Rodrigues
Edilson Silva Junior
Elisa Braga
Felipe Bertol
Filipe Silva dos Santos
Gabriela Bueno da Silva
Guilherme Nascimento Gimenes de Araújo
Guilherme Roberto
Ian Spinetti Brito
Isabel Quintela Soares Martins
Isaque Pereira de Oliveira
Ísis Cunha Oliveira Barbosa
Ivy Cristina Szot
Janaína Oliveira Rodrigues
Jean Carlos Gorges
Jessica Vianna Leão
Jordane Morais Messias
Kaique Stumpf
Laiana Lopes de Oliveira
Luis Felipe de Sousa
Marcela Batista Rahal
Marcus Danilo dos Ouros
Mariana Alice Guerra Piuzana
Max Michel Alves de Freitas
Nae Kohatsu Matakas
Paulo Felipe Lanine
Rafael Oliveira Gonçalves
Rayanne Carrara
Rodrigo Veiga Morales
Samuel Frederico Ferreira de Resende
Samuel Rodrigues Goetz
Tamara Alvarenga Caetano
Thays Lana Peneda Simões
Vinícius Costa da Silva
Yuri Radtke Colossale

 

Dos 150 inscritos, 49 foram selecionados para a 2º Academia Canto em Trancoso 2016, evento promovido pelas associações culturais Mozarteum Brasileiro e Música em Trancoso, em parceria com a Chorakademie Lübeck, da Alemanha, e receberão bolsa integral.

A bolsa consiste em transporte aéreo e/ou terrestre, hospedagem, alimentação no período de  2 ao dia 11 de julho, além das aulas com todos os professores.

Serão 6 dias de aulas gratuitas de técnica vocal e canto ministradas por Rolf Beck, maestro e diretor artístico da Chorakademie Lübeck, Lucia Duchonova (mezzo-soprano), Francisco Campos Neto (USP) e Ricardo Ballestero (USP).

A Academia acontecerá entre 3 e 9 de julho de 2016. O encerramento terá um concerto com todos os bolsistas no dia 9, último dia da academia, no Teatro L’Occitane , em Trancoso – Bahia.

Durante a academia serão escolhidos bolsistas que estudarão na Chorakademie Lübeck, na Alemanha.

Sobre o Mozarteum Brasileiro

35 anos dedicados a projetos educacionais e à promoção da música clássica

Fundado por Sabine Lovatelli e Claude Sanguszko em 1981, o Mozarteum Brasileiro surgiu com o compromisso de levar a todos os públicos o que há de melhor no mundo da música e da dança, tanto clássica quanto contemporânea. Instituição sem fins lucrativos, tornou-se em pouco tempo uma das mais importantes associações culturais do país. A produção de grandes concertos é apenas uma das atividades que posicionam o Mozarteum entre as principais entidades promotoras da música clássica. Com o Projeto Mozarteum, desenvolve atividades educativas voltadas ao aprimoramento musical de jovens talentos e à formação de plateias, por meio de masterclasses, palestras no Clube do Ouvinte, matinês para crianças e concertos ao ar livre. Os programas de integração entre músicos brasileiros e estrangeiros e bolsas de estudo para jovens nas melhores academias internacionais, promovidos pelo Mozarteum, já beneficiaram cerca de 200 estudantes de música e canto. Ao longo de sua trajetória, a instituição já trouxe ao Brasil algumas das maiores orquestras do mundo, como as filarmônicas de Berlim, Viena, Munique e de Nova York; respeitadas companhias de dança, como o Bolshoi e o New York City Ballet, e também solistas, grupos de câmara, coros e regentes de prestígio internacional.

Sobre a Chorakademie Lübeck

A Chorakademie Lübeck varia em tamanho, dependendo da obra a ser executada e do país onde se apresenta. Mas não varia na busca constante por novos cantores ao redor do mundo. Autônoma, identifica oportunidades para criar um novo e independente perfil, firmando-se como um pool de talentos que visa atingir a excelência. O coral está em seu melhor nível técnico desde 2002, quando começou como parte do Schleswig-Holstein Music Festival. Seus solistas simbolizam uma ideia internacional livre e unificada que vai além de fronteiras e diferenças raciais, motivada pelo senso de filosofia e processo criativo comum.

Sobre Rolf Beck

A magnífica premiere mundial de St. Luke Passion, de Penderecki, na Münster Cathedral da Alemanha em 1966 foi decisiva para o então jovem estudante de Direito Rolf Beck perseguir seu entusiasmo pela música clássica. Após se formar advogado, ele começou a estudar com Helmuth Rilling e, em 1972, fundou o Marburg Vocal Ensemble, que logo ganhou vários prêmios nacionais e internacionais e se tornou um dos principais corais alemães. Beck também fundou o coral da Bamberg Symphony Orchestra, que teve performance de sucesso similar. Como diretor artístico do Schleswig-Holstein Music Festival, criou uma academia coral para o evento em 2002, que participou de várias turnês na Alemanha e no exterior. Em 2014, o grupo se tornou a Chorakademie Lübeck.