Jonas Kaufmann & Helmut Deutsch

Jonas Kaufmann, tenor | Helmut Deutsch, piano

Quando: 10 de agosto
Horário: 21h
Local: Sala São Paulo (São Paulo, SP)
Praça Júlio Prestes, 16


Jonas Kaufmann

Desde a estreia sensacional no Metropolitan Opera de Nova York em 2006, em La Traviata, Jonas Kaufmann figura entre os principais astros do cenário operístico. Eleito “novo rei dos tenores” pela imprensa internacional, é celebrado por especialistas como o mais importante tenor alemão desde Fritz Wunderlich.

Jonas Kaufmann é natural de Munique, onde concluiu sua formação vocal na Academia de Música, tendo complementado os estudos em masterclasses com Hans Hotter, James King e Josef Metternich. Durante os primeiros anos nos palcos do Teatro Estatal de Saarbrücken, deu prosseguimento aos estudos com Michael Rhodes em Trier.

Após atuações em Stuttgart, Frankfurt, Hamburgo e Milão (Così fan tutte e Fidelio, em produções de Giorgio Strehler, sob regência de Riccardo Muti), Kaufmann seguiu para a Ópera de Zurique em 2001. Lá deu início à carreira internacional, apresentando-se no Festival de Salzburg e na Ópera Lírica de Chicago, nas Óperas de Paris e Royal Opera House Covent Garden de Londres (ROH), La Scala de Milão, Deutsche Oper de Frankfurt, Ópera Estatal de Berlim, Ópera Estatal de Viena e Metropolitan de Nova York. Em 2010 estreou como Lohengrin no Festival de Bayreuth, em montagem espetacular de Hans Neuenfels.

Kaufmann é tão solicitado internacionalmente para os repertórios italiano e francês, como o é para a ópera alemã. Cantou o Werther de Massenet em Paris e Viena, Cavaradossi na Tosca de Puccini em Londres, no Met e no La Scala. Suas caracterizações intensas de Don José na Carmen de Bizet e de Werther na ópera de Massenet, arrebataram fãs de ópera do mundo todo. Kaufmann adora retratar personagens atormentados, em cujo universo mergulha, conferindo surpreendente verossimilhança às suas reflexões e emoções.

Além das qualidades vocais e musicais, é sua completa identificação com os personagens que faz com que Kaufmann seja recebido com tamanho entusiasmo pela imprensa e pelo público. Foi assim em sua estreia como Siegmund em A Valquíria, no Metropolitan Opera de Nova York (Met), na primavera de 2011. A tão aguardada nova montagem – magistralmente regida por James Levine e transmitida em cadeias de rádio e salas de cinema HD do mundo todo – possibilitou ao público ouvir cada detalhe da excepcional interpretação wagneriana de Kaufmann: a combinação da força de expressão “alemã” com a sutileza vocal italiana. Kaufmann mais uma vez mostrou sua versatilidade vocal e teatral ao interpretar com idêntico sucesso o papel principal em Fausto de Gounod (em nova montagem que também pode ser vista em cinemas do mundo todo).

Nos domínios de sua cidade natal, Munique, Kaufmann já pode ser ouvido como Tamino, Lohengrin, Don José, Cavaradossi, Florestan em Fidélio e Don Carlo. Em 2012 estreou como Baco em Ariadne em Naxos de Richard Strauss no Festival de Salzburg. Lá também viveu Don José, em nova montagem de Carmen, regida por Simon Rattle, e cantou o Réquiem de Verdi, sob regência de Daniel Barenboim, apresentação levada também ao La Scala e ao Festival de Lucerna. Em dezembro de 2012 Kaufmann retornou a Milão para a abertura da temporada com a nova montagem de Lohengrin, sob regência de Barenboim e direção de Claus Guth.

2013 foi o ano de Wagner e Verdi: após nova montagem de Parsifal no Met e do retorno de Don Carlo à ROH de Londres, Kaufmann interpretou o papel-título de Don Carlo também em Munique e Salzburg. Além disso, encenou pela primeira vez dois papeis de Verdi: Manrico em Il Trovatore e Álvaro em A Força do Destino, ambos em montagens novas na Ópera Estatal da Baviera. Em fevereiro e março de 2014, representou o Werther de Massenet no Met e, em junho, estreou como Des Grieux em Manon Lescaut de Puccini, na ROH de Londres.

Destaques recentes em sua carreira são: a estreia como Andrea Chénier em nova montagem na ROH, sob regência de Antonio Pappano; seu primeiro Radamés, em Roma (com Anja Harteros e Pappano); a elogiadíssima dupla estreia na nova montagem de Cavaleria Rusticana/ Pagliacci no Festival de Páscoa de Salzburg; além de um recital de Puccini no La Scala. Após grande êxito do álbum solo contendo sucessos do final da década de 1920, início da década de 1930 (Du bist die Welt für mich), Kaufmann lança novo álbum com árias de Puccini (Nessun dorma) em setembro de 2015. Neste mesmo mês, ele interpreta algumas dessas árias na lendária “Last night of the proms”, no Royal Albert Hall de Londres.

A versatilidade de Kaufmann está documentada em uma série de CDs e DVDs, em performances de obras como Lohengrin, A Valquíria, Parsifal, As crianças do Rei, Ariadne em Naxos, Don Carlo, Tosca, Adriana Lecouvreur, Werther e Carmen.

Seus álbuns solo, Verismo, Wagner e Verdi tornaram-se best-sellers poucas semanas após terem sido lançados. Em 2011 ele recebeu, em Nova York, o cobiçado prêmio Opera News Award, concedido pela revista Opera News, que declarou: “Sua intensidade e elegância, a suavidade de sua voz e a linguagem corporal, aliadas à sua musicalidade e aparência luminosa, fazem dele um sinônimo de astro da ópera do século 21”.

Pouco tempo depois, o cantor recebeu o título de Cavaleiro da Ordem das Artes e Letras, honraria concedida pelo Ministro de Cultura francês Frédéric Mitterand. Kaufmann foi eleito diversas vezes Cantor do Ano pelas revistas especializadas Opernwelt, Diapason e Musical America, bem como pelos jurados do prêmio Echo-Klassik e no primeiro International Opera Awards (Londres, 2013).

Kaufmann também é personagem conhecido nas salas de concertos e recitais de todo o mundo. Ele vê na interpretação da canção artística a “realeza do canto”, uma vez que o gênero exige muito mais sutileza e diferenciação do que qualquer outra disciplina de canto.

A importância da parceria com o pianista Helmut Deutsch – com quem trabalha desde os tempos de estudante em Munique – pode ser comprovada em inúmeros concertos, como no Metropolitan Opera de Nova York, em 30 de outubro de 2011 – o primeiro recital-solo no Met desde o retorno de Luciano Pavarotti em 1994.


Helmut Deutsch

Deutsch, HelmutReconhecido internacionalmente como músico de câmara e pianista acompanhante, o austríaco Helmut Deutsch nasceu em Viena, em 1945. Estudou piano e composição no conservatório musical da cidade e também musicologia na Vienna University. Em 1967 ele foi premiado no Vienna Composition Prize.

Helmut Deutsch começou sua carreira como pianista acompanhante da soprano alemã Irmgard Seefried. Desde então, ele tem tocado para os maiores cantores de nossa época. Com Jonas Kaufmann formou um selo artístico em recitais internacionais.

Presença constante em centros musicais e festivais de todo o mundo, Deutsch possui vasta discografia e muitas gravações premiadas. Ele lecionou no departamento de música da Vienna University entre 1967 e 1979. Foi professor da Munich Hochschule für Musik de 1986 a 2011 e continua a ministrar masterclasses regulares na Europa e Japão.


Programa*

Franz Schubert (1797-1828)
O FILHO DAS MUSAS, D.764
 A TRUTA, D.550                                                                                               
O JOVEM NA FONTE, D.300                                                                            
A TÍLIA, DE “A VIAGEM DE INVERNO”, D.911

Robert Schumann (1810-1856)
SELEÇÃO DE “12 POEMAS” DE JUSTINUS KERNER, OP. 35                            
Nº 1 PRAZER DA NOITE DE TEMPESTADE                                                 
Nº 4 VERDE                                                                                                          
Nº 7 PEREGRINAÇÃO                                                                                       
Nº 9 PERGUNTA                                                                                                 
Nº 10 LÁGRIMAS SILENCIOSAS            

Henri Duparc (1848-1933)
CONVITE À VIAGEM                                                                                             
O SOLAR DE ROSEMONDE                                                                                 
CANÇÃO TRISTE                                                                                                     
PHIDYLÉ                  

***

Franz Liszt (1811-1866)
TRÊS SONETOS DE PETRARCA S.270     
II. Bendito seja o dia
I. Não encontro paz
III. Encontrei na Terra a graça celestial

Richard Strauss (1864-1949)
OP. 27 Nº 3 CONVITE SECRETO
OP. 19 Nº 1 PRA QUÊ, MENINA                                                                      
OP. 19 Nº 2 ESPALHE SOBRE MIM SEUS CABELOS NEGROS
OP. 37 Nº 2 EU TE AMO
OP. 48 Nº 1 VISÃO AMIGÁVEL
OP. 27 Nº 2 CECÍLIA

*Programa sujeito a alterações

 


Jonas Kaufmann
appears by arrangement with
Elisa Wagner / ICP
www.elisawagnericp.com
 
Mr. Kaufmann is managed by
Zemsky/Green Artists Management, Inc.
And records exclusively for
Sony Music Entertainment
www.jonaskaufmann.com


Ingressos

ingresso-rapido-full

Telefone (também aos sábados)

Vendas pela Ingresso Rápido não possuem taxa de conveniência,
mas estão sujeitas a taxa de entrega.

www.ingressorapido.com.br


logo_mozarteum

Telefone: (11) 3815-6377  de segunda a sexta, das 9h às 18h:

Rua Pedroso Alvarenga, 58 – 3º andar – Itaim Bibi – São Paulo/SP

Programação 2016

Voltar